segunda-feira, 16 de março de 2009

#33 Sozinho no 47

Se tem uma música que, quando toca, você consegue captar todo o feeling dela, esta música é Sozinho, na voz do Caetano Veloso. Seja em uma noite de insônia, na fossa, na ressaca ou em uma bad trip, ela sempre é uma boa trilha sonora para nossa rádio mental.

Hoje, no ônibus 47 rumo à faculdade e em meio aos pensamentos, como "R$2,20 mas pelo menos tem ar e música ambiente...", começa a tocar Sozinho. Numa fração de segundos, olho para o lado, observo as pessoas, e todas cantavam, mentalmente, a canção. Se a vida fosse como Scrubs e eu, o J.D., a imagem de todos os passageiros, inclusive o cobrador, com um isqueiro balançando na mão, seria perfeitamente nítida, que nem os daydreams do Doctor Dorian. Porque, convenhamos, ônibus é um lugar instropectivo e Sozinho é uma música para corações partidos, ou seja, simplesmente combinam. Ensaiei um sorrisinho e comecei a rir internamente. Um cara senta ao meu lado e eis que ele começa a melodiar, baixinho mas o suficiente para ouvir, os versos "fala que me ama/só que é da boca pra fora/ou você me engana/ou não está madura, uh! uh! uh! uh!/onde está você agora?". Outro LOL interno.

É uma pena que, depois dos três minutos e alguns segundos, todos suspiram e falam "ai ai, esse Caetano... cantando meu coração", tirando todos os méritos do Peninha.

Um comentário:

Sargento Verde disse...

humpf...também acho! sacanagem com o peninha!